Implementação de PMO’s

A implementação de um Project Management Office (PMO) é fundamental para que a maturidade da organização possa aumentar. E as organizações mais maduras são as mais competitivas: As que mantém os clientes, aprofundam a relação com os mercados em que atuam e consolidam os seus negócios.
A implementação de um PMO é um instrumento para aumentar a standardização, a visibilidade dos projetos, para melhor atribuir recursos às atividades, para melhorar o controlo da execução e dos esforços e para melhor gerir os riscos e os stakeholders. Um PMO permite ter mais claro os papéis e responsabilidades e é a forma de estabelecer donos das coisas numa estrutura transversal.
Os PMO’s estratégicos permitem promover o alinhamento dos projetos e dos programas com os objetivos de médio e de longo prazo das organizações, facilitando a otimização do portfólio de projetos.
A 1st Only Talent® apoia a criação e o desenvolvimento dos PMO’s e, muitas vezes, a sua reorientação para o valor a entregar à organização. Este trabalho passa por avaliar as pessoas, as ferramentas e os processos e sugerir os elementos adicionais e de transformação necessários para realinhar as expectativas e o conhecimento do PMO.
A sistematização de processos, a consolidação do conhecimento organizacional e o desenvolvimento da empresa, de acordo com os seus objetivos, são elementos essenciais no desenho organizacional que reorienta os PMO’s para as suas reais funções e de acordo com as reais necessidades integradas.
A metodologia de intervenção que desenvolvemos ao longo de mais de trinta projetos de intervenção é baseada na avaliação do estado atual, na (re)definição do charter do PMO, na garantia de apoio integral da gestão executiva, na construção do “Business Case” com explicação detalhada do valor ganho com a (re)organização do PMO, na sua aprovação, na implementação organizacional, avaliação e transferência final para a organização.
Os projetos, tipicamente, são de curta duração e com resultados rápidos, desde que devidamente apoiados e suportados pela gestão de topo e após o “Business Case” estar aprovado.
São abordadas as mudanças de estrutura, nas práticas, de recursos, técnicas e de alinhamento aos negócios.